quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Puskas

   Não sou daquelas pessoas que diz preferir os animais às pessoas, apesar de os animais nos darem sempre mais alegrias que tristezas e de serem muito mais sinceros do que muito boa gente que por ai anda. 
De qualquer forma adoro animais. As minhas avós eram mulheres do campo, e eu desde pequenina sempre fui um bocado mais campónia do que menina da cidade, e como tal bicharada foi coisa que nunca faltou. 

   O meu primeiro companheiro de quatro patas chegou à minha casa quando eu tinha 6 anos, e infelizmente deixou-nos o ano passado. Era um cão e era o melhor do mundo (Espero que haja um céu para os cães).


   Pouco tempo antes do meu bichinho adoecer, uma amiga disse-me que tinha uns gatinhos para adopção e eu que sempre quis ter um, tratei de fazer a cabeça ao pessoal cá de casa (que não queriam gatos) e como sou muito pouco teimosa (cof cof) lá os venci pelo cansaço!!


E eis que chegou cá a casa, à 4 meses o menino dos meus olhos: o Puskas








Digam lá que não é a coisinha mais linda?! *.*


Por aqui, quem gosta/tem animais de estimação?
Beijinhos, Tânia

10 comentários:

  1. Olá, também amo animais de estimação! Ainda não tenho um em minha casa, mas cresci sempre um um bichinho de estimação por perto. É muito bom tê-los conosco :)

    Abraços,
    Mari

    http://marirmalho.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  2. Eu tenho um coelho, uma piriquita e dois gatos. Os gatos foram os dois adoptados e por isso trouxeram os dois um trauma. O gato nem sequer sabia brincar e a gata tinha o trauma de ter perdido a dona (faleceu). Hoje em dia parece que não foi nada com eles, felizmente conseguiram superar tudo.

    Não trocava nenhum dos quatro por nada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o meu gato chegou cá a casa com dois meses, é um bocadinho avariado da cabeça mas é mesmo dele :p

      Também já tive dois piriquitos

      Eliminar
  3. A tua história fez-me lembrar muito a minha, também tive uma gatinha desde pequena (desde os 2/3 anos) e infelizmente a velhiçe levou-a há quase 2 anos. Senti mesmo aquela falta de ter uma companhia felpuda que me aquecesse nos dias menos bons, e de certa maneira, um pouco de divertimento em casa. Os meus amigos como me viram muito triste com a situação, passado uns 2 meses, ofereceram-me a minha gata actual. Mas continua a ser dificil lembrar-me da velhinha, foram muitos anos e momentos juntas. nunca pensei que um animal nos fizesse sentir assim!
    Beijinhos
    btw - vou seguir-te

    ResponderEliminar
  4. Oh desculpa já não uso um blog há muito tempo e alguns habitos como por o link, caíram em desuso!
    É o mesmo aqui em casa. Dou por mim muitas as vezes a lembrar-me da minha gata velhinha em situações presentes que acontecem com esta. Mas é impossível um animal substituir outro. É apenas mais um. Quando me perguntam quantos animais tenho, digo um. mas acrescento que tive outra.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Sim, uma pessoa com um gato é uma pessoa que se farta de rir. Nunca tive um cão portanto não sei comparar, mas sem duvida, ter um gato é passar o dia a ve-lo a fazer disparates. ahah

    ResponderEliminar
  6. Eu tenho duas pestinhas cá em casa que me fazem os dias! Também tinha pensado em falar sobre eles... Sim porque o meu instagram é bombardeado com fotos deles <3.
    Os animais fazem toda a diferença numa pessoa e pelo menos a mim acontece muita vez eu pensar mais neles do que em mim. E isto mais terá irá aplicar-se aos meus. :3
    Adorei o nome, Puskas e é lindíssimo mas tem ar de maroto :D

    ResponderEliminar
  7. Oh que doce :D adoro eheh coisinha mais linda!!! Eu sempre cresci com gatinhas. A primeira da minha vida era a gatinha da minha mãe, aos 7 anos tive a minha primeira gatinha (que era mesmo minha). Faleceu no ano passado também, custou-me imenso, mas viveu mais do que era esperado para a raça dela (persa pura). Entretanto há quase 3 anos que tínhamos uma outra cá em casa que é do meu mano :D

    ResponderEliminar
  8. Não engana mesmo! <3
    Sabes que isto o meu homem chateia-se porque eu quando posso tenho que trazer sempre um brinquedo novo para eles... Se bem, que não dura muito tempo. :p E faz mesmo toda a diferença :3

    ResponderEliminar